Água Alcalina = Saúde = Vida saudável

12-01-2016 15:58

 

Existem dois tipos de pessoas no mundo:

  • As que bebem água da torneira;

  • As que bebem água engarrafada. 

A primeira é, provavelmente, a pior. Contêm químicos indesejáveis (devido ao cloro, o flúor e os pesticidas) e/ou materiais pesados (alumínio e o chumbo).

Tipos de  Águas:

  • águas ácidas (que rondam um pH de 5-6,5);

  • águas neutras (com um pH de 7.0 -7.4);

  • águas alcalinas (que rondam um pH de 7,5-14).

Importância do pH sanguíneo na Saúde orgânica

É importante relembrar que o nosso corpo é constituído por cerca de 70% de água, 20% por matéria orgânica e 10% por cento de sais minerais.

Um ser humano pode ficar até duas semanas sem comer, mas não sobrevive muito tempo se não beber água.

“O pH corporal é um regulador de todas as funções. Todas as reações do nosso corpo funcionam melhor quando o sangue se encontra entre pH neutro e o  alcalino”, explica Paloma Tusset, nutricionista. 

“O pH elevado no organismo pode contribuir ou intensificar patologias taiss como: diabetes, osteoporose, artrite, artrose e várias outras doenças crônicas”, alerta Tusset.

O desequilíbrio está na produção de substâncias que consomem o cálcio do organismo, através de um mecanismo natural, para combater a acidez do sangue. “É essencial manter o pH equilibrado, porque com um sangue alcalino o cálcio é depositado e assimilado, nos ossos e dentes”.

 

Água Alcalina

Para se entender e falar de água alcalina é preciso ter conhecimento de bioquímica relativamente a ácidos e alcalinos (equilíbrio ácido base).

Saúde implica manter um PH -sanguíneo entre 7,35 e 7,45.

O Dr. José Irineu Golbspan, definiu desta forma o pH:

“O corpo humano é uma máquina que precisa produzir energia para funcionar (consumir elétrons). A nível celular, quando se consome elétrons sobram os prótons. O próton mais simples é o H+. No pH mede-se a quantidade de prótons (íons H+). Quanto mais prótons, menor é o pH e mais ácido é o meio. Quando nosso corpo consome energia, consumimos elétrons, temos excesso de prótons e o organismo acidifica.

É imprescindível a eliminação do excesso de ácido que é prejudicial à saúde.

Esta eliminação é feita através da urina, através da eliminação do ácido úrico, através da respiração, quando eliminamos ácido carbônico na forma de CO2, através do estômago quando eliminamos ácido clorídrico e através da transpiração.

Portanto somos uma grande máquina que produz energia (consumindo elétrons) e uma grande máquina de eliminar ácidos.

Importante ter consciência que as doenças degenerativas se desenvolvem apenas e só através de um meio ácido. Quando comemos e ingerimos líquidos ácidos, (Ex: refrigerantes, produtos industrializados, fritos, etc.), aumenta a dificuldade na eliminação do excesso de ácido e ficamos mais propensos ao desenvolvimento das doenças. O principal órgão na eliminação dos ácidos é o rim. Porém, para o rim funcionar adequadamente, é necessário ingerir entre 1,5 a 2 litros/dia de uma boa Água (com pH => 7.0) para se manter a saúde.

Benefícios:

  1. Promove uma remineralização melhorando a drenagem e depuração hépato-renal, permitindo uma diminuição dos resíduos ácidos no sangue e no sistema linfático.

  2. Contem cálcio, magnésio e potássio que são minerais alcalinos.

  3. Além de contribuir como preventivo de doenças inerentes a má digestão (ulceras, gastrites, gastroenterites, indigestão, neutralizar a acidez estomacal e facilitar a digestão.

  4. Ajuda os rins e o fígado a eliminar as toxinas do sangue e ajuda a reduzir os resíduos ácidos no sangue e no sistema linfático.

  5. Contribui para eliminar os efeitos de tudo que é alimento ácido, beneficiando o nosso corpo ao reduzir o refluxo gastro esofágico.

  6. Previne e remove a placa bacteriana dos dentes.

  7. Contribui para o processo de redução da inflamação nas articulações aliviando as dores.

  8. Como é rica em minerais, pode contribuir para prevenir a osteoporose melhorando a densidade óssea.

  9. Possibilita uma melhor hidratação celular.

  10. Melhora o funcionamento do estômago e do pâncreas tornando o sangue mais alcalino.

Descodificando os dez pontos essenciais de uma Boa água para a saúde!

Praticamente toda a água em garrafa do mundo está contaminada com “nanopartículas de plástico”, que provavelmente entram em contacto com o líquido durante o processo de engarrafamento.

Apesar de estudos descartarem qualquer risco decorrente da ingestão das nanopartículas de plásticos - para a saúde do consumidor - , a OMS decidiu investigar, para perceber o alcance do risco potencial.

No momento presente, com tanta tecnologia seria sensato dizer que: "beber água da torneira é saudável". Isto porque além de ecológico, fica mais barato do que comprar água engarrafada.

Todavia, o gosto de cada um, o conhecimento ou o desconhecimento sobre a qualidade da água da torneira de determinada zona são bons motivos para se preferir água engarrafada.

As águas engarrafadas possuem características diversas quanto ao teor em minerais. A variedade de marcas disponíveis nas prateleiras do hiper e/ou lojas complica a escolha e, muitas vezes, os rótulos não elucidam devidamente, devido ao uso de designações técnicas. Além do mais, muitas das vezes, encontram-se águas engarrafadas que não se enquadram nas classificações “nascente” e/ou “mineral natural”.

Daí a importância da literacia em Saúde|

Descodificando os dez pontos essenciais numa boa água de consumo para beber:

 

 

 

 

 

 

 

  1. pH: (nível de acidez numa escala de 0 a 14):

    1. pH neutro = 7.0/7.4

    2. pH ácido = <7.0

    3. pH alcalino = >7.4 até 14

  2. Sílica: (sem inconvenientes para a saúde).

  3. Mineralização total ou resíduo seco:

    1. Até 50 mg/l, a água é muito pouco mineralizada

    2. Entre 50 e 500 mg/l, é oligomineral ou pouco mineralizada;

    3. Acima de 1500 mg/l é rica em minerais.
      NB: Para consumo regular, opte pelas menos mineralizadas.

  4. Bicarbonato:

    1. Águas com mais de 600 mg/l são bicarbonatadas
      (indicadas, com moderação, na hiperacidez gástrica e/ou uricémia).

  5. Sulfato:

    1. Com mais de 200 mg/l são águas sulfatadas.
      NB: Em grande %, pode ser laxante se associado ao magnésio.

  6. Nitrato:

    1. Proibido > 50 mg/l.
      NB: As grávidas, mulheres a amamentar e bebés não devem beber águas com mais de 10 a 15 mg/l.

  7. Sódio:

    1. Em quantidades elevadas, pode ser nocivo (retenção hídrica, HTA, nefropatias).

    2. Em caso de retenção hídrica, hipertensão e nefropatias, opte por águas com menos de 20 mg/l.

    3. Alimentação infantil, escolha baixo teor de sódio.

  8. Magnésio:
    Em quantidades elevadas pode ter um efeito

  9. Cálcio:
    a. Teores elevados podem interferir na absorção de nutrientes (potássio, ferro e zinco).
    b.Com mais de 150 mg/l são águas cálcicas.

  10. O consumidor consegue-se distinguir – pelos rótulos – três tipos de água:

    1. Nascente (a maioria das vezes é idêntica à mineral natural);

    2. Mineral natural;

    3. Nem uma, nem outra.

As águas da “Nascente” e “Mineral natural” têm origem subterrânea, circulam a profundidades significativas e são consideradas “bacteriologicamente próprias”.

A qualidade da água engarrafada é garantida por um rigoroso processo de controlo. As águas minerais e de nascente têm de ser engarrafadas diretamente na nascente através dos mais avançados sistemas de enchimento. Todo o processo é minuciosamente controlado desde o aquífero até ao consumidor final, pela empresa engarrafadora e pelas autoridades oficiais.

Para além disso, as águas engarrafadas têm um «bilhete de identidade» (rótulo) que assegura de forma inequívoca a qualidade e a segurança do produto que é consumido.

Todas as águas engarrafadas são produtos alimentares. Por serem produtos alimentares têm de cumprir todos os exigentes requisitos de segurança alimentar estabelecidos a nível nacional e impostos pela UE. As águas engarrafadas estão sujeitas a testes e análises muito frequentes, baseados em boas práticas de higiene.

A adoção e implementação do HACCP, um sistema de autocontrolo de pontos críticos, é obrigatória para a indústria e representa a garantia de elevados padrões de qualidade alimentar. Além do mais, as águas engarrafadas têm de cumprir requisitos de qualidade específicos, conforme o determinado pelas Diretivas da UE para o sector.

Os rótulos da água engarrafada facultam ao utilizador informação específica e detalhada sobre o tipo de água adquirida, o nome da captação e a sua localização, o nome do produtor e a sua composição físico química específica (obrigatória no caso das águas minerais naturais e opcional no caso das águas de nascente).

Se o pH é de extrema importância, mas os outros componentes, também o são!

 

Marcas de Águas + aconselháveis:

  • URSU  água de Àvila (pH=9.0)

  • Carvalhelhos s/ gás (pH=7,79)

  • Jana (pH=7,54)

  • AquaBona (pH=7.4)

  • Gloria Patri (pH=7.2)

  • Evian (pH=7,2)

  • São Silvestre (pH=7,13)

  • Fonte Viva (pH=7.0)

  • Cruzeiro (pH=6,9)

  • Nascente (pH=6.85)

  • Continente (marca branca) (pH=6,66)

  • Penha (6.57)

  • Caramulo (pH=6.5)

  • Aguarela do Mundo de São Martinho (pH=6,42)

  • Auchan (pH=6,42)

  • Água da Nascente Amanhecer (pH=6,33)

  • Serra da Estrela (pH=6.19)

Evite beber Águas que interferem na HTA, Nefropatias e na Retensão Hidrica:

  • Vidago (> Sódio)

  • Pedras Salgadas (> Sódio)

  • Monchique (>Sódio e Fluoreto)

Informação que deve reter:

  •  Em França é proibido vender água abaixo de pH 7.0.

Água Fluoretada - "Nunca":

  • Os nazis, na segunda guerra mundial, já utilizavam "flúor" na água dos campos de extermínio que agia como sedativo nos prisioneiros.

  • O Flúor é utilizado como componente ativo de tranquilizantes. (Diazepan (Valium) e Rohypenol).

  • O tranquilizante (Stelazyne) é aplicado em perfusão em asilos e instituições para doentes mentais em todo o mundo.

  • O Flúor é mais tóxico do que o chumbo, cuja quantidade na água potável não deve ser superior a 0,4 ppm.

  • O nível de Flúor na água potável ronda os 1,5 ppm.

  • A Universidade de Flórida concluiu que: "Uma solução de 0,45 ppm de fluoreto d esódio é suficiente para fazer com que as reações sensoriais e mentais fiquem mais lentas".

  • Na Sicilia foi encontrada uma ocorrência grade de doenças dentárias devido a alta concentração de flúor na água.

Países em que a "Fluoretação" na água é proibida:

  • Alemanha, Áustria, Bélgica, China, Dinamarca, Japão, Luxemburgo...entre outros 

Você é quem decide!!!