Adoçantes artificiais!

05/05/2014 20:44

acucar-inseticida-660x330

A amarga verdade sobre os adoçantes artificiais

Você prefere o seu com café com açúcar, leite ou inseticida?

Você considera as opções acima um tanto quanto loucas? Talvez elas até sejam, mas saiba que a sucralose – ou Splenda – é, na verdade, o resultado de uma pesquisa sobre inseticida. E mesmo não sabendo se essa coisa funciona contra os insetos, ela certamente tem ação prejudicial no seu organismo.

Um novo estudo feito com ratos, observou-se que os roedores que tinham ingerido sucralose apresentaram um considerável aumento do risco de desenvolver leucemia. Observou-se também que quanto maior a dose de sucralose, maior o risco de contrair a doença. Perante isto, o Centro para Ciências no Interesse Público alterou o nomenclatura da sucralose, no mais novo guia para aditivos alimentares, de “segura” para “cautela”.

Parece até que eles estão sendo muito otimistas, contudo passamos a “cautela” DE LONGE quando se trata dessa coisa. A verdade é que sucralose pode ser qualquer coisa, menos segura.

O Splenda já foi vendido como sendo “feito do açúcar,” como se isso fosse algo de nobre.  Mas, na realidade, “feito de um kit de laboratório” seria uma descrição muito mais precisa. O que o leitor não vai gostar de saber é que a sucralose é feita de cloro, e já que o cloro em si é um carcinogéneo em potencial, isso talvez ajude a explicar a ligação potencial entre uma coisa e outra.

A sucralose também está associada a edemas, náusea, flatulência e outros problemas estomacais; algumas pessoas também têm apresentado esquecimento e até tonturas.

Os fabricantes dizem que o Splenda é seguro, o que é uma grande hipocrisia quando se considera os estudos humanos de longevidade sobre estes produtos.

Pense sobre isso da próxima vez em que alguém lhe oferecer Splenda (sucralose). E pense sobretudo nos estudos que revelam os problemas causados pela sucralose, tal como a mais recente pesquisa que descobriu que ela causa subida da glicemia e subida de 20% de insulina em pessoas obesas.

Quanto mais insulina, mais fome, principalmente aumento da vontade de comer doces. Então, antes de constatar que, o seu adoçante “diet”, sem calorias, está a aumentar o seu apetite, considere se vale a pena. Isso representa andar na montanha russa de glicose/insulina o que é a receita ideal para diabetes a longo prazo.

Um conjunto de opções más:

Comece já a evitar os adoçantes nos cafés, nos restaurantes e nos supermercados.
Considere as seguintes substâncias:

Aspartame:  ligado a quase 100 sintomas e condições diferentes. Estudo descobriu que ele causa tumores no fígado e pulmões de ratos machos. Também foi relacionado às enxaquecas, à perda de memória, ao nascimento prematuro e até à morte. 

Sacarina:  mesmo sendo melhor que o Aspartame ela não é nada vantajosa.  A sacarina é originalmente derivada do alcatrão de carvão e já teve em seu rótulo uma advertência sobre o risco de câncer e também pensa-se na relação direta com as reações alérgicas e aumento dos níveis de insulina.

Açúcar:  pode levar à obesidade, diabetes, doenças cardíacas, paragem cardíaca, doença cerebral (incluindo a demência).  Se existe alguma substância que já deveria ter eliminado do seu regime alimentar é o açúcar.

Açúcar mascavo:  tido como açúcar “cru”, a sua espessura confunde as pessoas fazendo-as acreditar que é mais natural, e, portanto, melhor. A grande verdade é que nem uma coisa, nem outra, são verdadeiras. Ele é pura e simplesmente um açúcar. É o mesmo que acontece com o “puro sumo de cana” e outros adoçantes e xaropes orgânicos mais dispendiosos, com nomes que fazem acreditar serem mais saudáveis. E não são!

Agora, para muitas pessoas a maior fonte de todos esses adoçantes está nas bebidas, geralmente refrigerantes e café. Se é um “viciado” em refrigerantes, então está na hora, para bem da sua Saúde, prevenir-se (deixar completamente de os utilizar) do que remediar.

Se pretende algo gaseificado, utilize a saudável e velha água com gás - pedras ou Vidago (da garrafa verde), com sumo de limão ou lima.

Se porventura for um “viciado” em café, verifique: o café não só é delicioso como também é saudável! Ao consumir de uma a três chávenas por dia, está a contribuir para diminuir o risco de câncer, doenças cardíacas, demência entre outras. Se porventura sofrer de disquinésia biliar, lembre-se que o café para si está contra-indicado. Caso contrário não desista do café, desista apenas dos adoçantes.

Plano para sair do “vício do adoçante”

Se não consegue beber uma chávena de café sem alguma substância para cortar o seu sabor amargo.

Então tome nota:
Diminua gradualmente a quantidade de açúcar ou adoçante em cada chávena até deixar por completo.
As papilas gustativas vão-se ajustando, as memórias criadas pelo adoçante e/ou açúcar vão desaparecendo e rapidamente aprenderá a admirar o café da mãe natureza.
Se quiser adicione um pouco de canela (em pó) ou um pouco de cacau (em pó).

Fonte: Dr. Rondó
Atualização: Prof. Dr. Jorge Fonseca

Referências bibliográficas:          

- Lord GH, Newberne PM. Renal mineralization — a ubiquitous lesion in chronic rat studies. Food Chem Toxicol 1990 Jun;28:449-55.
- Labare MP, Alexander M. Microbial cometabolism of sucralose, a chlorinated disaccharide, in environmental samples. Appl Microbiol Biotechnol. 1994 Oct
- Sucralose — a new artificial sweetener. Medical Letter on Drugs & Therapeutics, 07/03/98, Vol. 40, Issue 1030, p67, 2p.
- Hunter BT. Sucralose. Consumers’ Research Magazine, Oct90, Vol. 73 Issue 10, p8, 2p.
- European Journal of Clinical Nutrition April 2011; 65(4):508-13
- Journal of Toxicology and Environmental Health Part A 2008;71(21):1415-29
- Food and Chemical Toxicology, 2000;38 Suppl 2:S31-41
- The Huffington Post Janaury 11, 2011
- JAMA 2011; 305(13): 1352-1353
- The New York Times April 12, 2011
- Livro Emagreça e Apareça. Editora Gaia – 2007
- Livro Fazendo as pazes com o seu peso. Editora Gaia – 1998